© Texto Carlos Drummond de Andrade

O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi belo e deslumbrante,
o antigo amor, porem nunca fenece,
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não, ele venceu a dor
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor...

(Todos os direitos autorais são reservados ao autor)

Deseja enviar esta página para alguém especial?

 

Envie esta página, Clicando aqui!

 

Voltar para a página Céu e Mar:

Voltar para o Porto:

Voltar para o Porto dos Sonhos e das Poesias

Copyright © Sarah Rodrigues - 2004 - Belém - Pará - Brasil.

Todos os direitos reservados / All Rights Reserved.

ao Site Porto dos Sonhos e das Poesias

e sua autora: Sarah Rodrigues.

Webmaster e Designer: Lisiê Silva.