© Fábio Júnior

 Pai, pode ser que daqui a algum tempo 
Haja tempo pra gente ser mais 
Muito mais que dois grandes amigos, pai e filho talvez ...
 
Pai, pode ser que daí você sinta, 
qualquer coisa entre esses vinte ou trinta 
longos anos em busca de paz.... 
 
Pai, pode crer, eu tô bem eu vou indo, 
tô tentando vivendo e pedindo com loucura pra você renascer... 
Pai, eu não faço questão de ser tudo, 
só não quero e não vou ficar mudo pra falar de amor pra você ...
 
Pai, senta aqui que o jantar está na mesa, 
fala um pouco tua voz está tão presa,
nos ensine esse jogo da vida, onde a vida só paga pra ver...
 
Pai, me perdoa essa insegurança, 
é que eu não sou mais aquela criança, 
que um dia morrendo de medo, nos teus braços você fez segredo 
nos teus passos você foi mais eu ...
 
Pai, eu cresci e não houve outro jeito, 
quero só recostar no teu peito, 
pra pedir pra você ir lá em casa e brincar de vovô com meu filho 
no tapete da sala de estar ...
 
Pai, você foi meu herói meu bandido,
 hoje é mais muito mais que um amigo...
Nem você nem ninguém está sozinho,
 você faz parte desse caminho...
Que hoje eu sigo em paz   Pai   Paz... 

Envie esta página, Clicando aqui!

Voltar para Datas Comemorativas:

Voltar para o Porto:

Voltar para o Porto dos Sonhos e das Poesias

Copyright © Sarah Rodrigues - 2004 - Belém - Pará - Brasil

Todos os direitos reservados / All Rights Reserved.

ao site Porto dos Sonhos e das Poesias.

e sua autora: Sarah Rodrigues.

Webmaster & Designer: Lisiê Silva