A padroeira dos paraenses é também a padroeira dos navegantes. Por isso, logo após a romaria rodoviária, na manhã do sábado, anterior ao Círio, a imagem de Nossa Senhora participa da romaria fluvial, um dos mais esperados, belos e emocionantes momentos de devoção à virgem de Nazaré. O evento foi realizado pela primeira vez em 8 de outubro de 1986, organizado pela Empresa Paraense de Turismo (Paratur).

A imagem é levada por um barco, enfeitado com flores, balões e fitas coloridas. A embarcação segue pela baía de Guajará, no entorno de Belém, seguida por centenas de outros barcos ornamentados. As embarcações que acompanham o evento também participam de um concurso promovido pela Parartur, que escolhe a mais bela decoração.

 

O percurso fluvial é acompanhado por fiéis, religiosos, jornalistas, políticos e estudantes. Dos barcos e da orla, ao longo procissão, a imagem vai sendo reverenciada pelos ribeirinhos com fogos de artifício e aplausos. São momentos de fervor e devoção que emocionam.

O trajeto Icoaraci-Belém dura, em média, cinco horas. Ao chegar ao cais do porto da capital, mais homenagens com queima de fogos. A imagem é recebida por uma multidão. São motoqueiros, motoristas e outros milhares de fiéis. A imagem é conduzida até o Colégio Gentil Bittencourt, de onde só sai à noite, para a Trasladação.

Romaria fluvial e transladação: a emoção dos primeiros cortejos
Ainda é madrugada em Belém, mas centenas de pessoas já se acotovelam na escadinha do Cais do Porto para garantir um lugar para ver a imagem de Nossa Senhora de Nazaré na chegada da romaria fluvial, que só acontece por volta das 11 horas da manhã. Para os fiéis, o sacrifício da longa espera vale a pena...

A Chegada -
Depois de percorrer aproximadamente cinco horas por estradas e rios, a embarcação que conduz a imagem pára na baía do Guajará, emocionando os fiéis. Fogos de artifício, banda musical e gritos de "Viva à Nossa Senhora de Nazaré" saúdam a chegada da Virgem. Os devotos não conseguem conter as lágrimas. Da escadinha, a imagem é colocada em um carro aberto para então ser conduzida em mais uma romaria, desta vez, de motoqueiros, até o Colégio Gentil Bittencourt, na avenida Magalhães Barata, de onde sairá, à noite, para a Trasladação. O trajeto de aproximadamente quatro quilômetros é feito em cerca de 20 minutos.
Antes de ser colocada no carro, nas mãos do arcebispo de Belém, D. Vicente Zico, a imagem da padroeira dos paraenses abençoa os fiéis a multidão que se concentra na escadinha. Centenas de motos, bicicletas e outros veículos fazem a escolta da Santa até o colégio. Ao longo do percurso são muitas as homenagens à Nossa Senhora. As fachadas dos prédios, localizados nas avenidas Presidente Vargas e Nazaré, são enfeitadas. Em frente ao prédio da agência Banco do Brasil e do Basa, a Santa é venerada com uma chuva de papel picado. Todos param e erguem as mãos para ver a passagem da Virgem.

Na chegada ao colégio Gentil, outra multidão aguarda a imagem. Mais emoção. Ao final, o arcebispo de Belém conduz a imagem para a capela do colégio, para que à noite, depois de uma missa, ela seja conduzida até a Igreja da Sé. A moto-romaria, como é chamada a procissão dos motoqueiros, é realizada pela Federação Paraense de Motociclismo desde 1990. Um espetáculo de luzes para Nossa Senhora

Veja mais sobre

O Círio de Nossa Senhora de Nazaré,

a Festa da Fé:

 

Envie esta página, Clicando aqui!

Voltar para as Dunas:

Voltar para o Porto:

Voltar para o Porto dos Sonhos e das Poesias

Copyright © Sarah Rodrigues - 2004 - Belém - Pará - Brasil

Todos os direitos reservados / All Rights Reserved.

ao site Porto dos Sonhos e das Poesias.

e sua autora: Sarah Rodrigues.

Webmaster: Lisiê Silva.

Fontes:

http://www.pa.gov.br/hotsite/ciriodenazare/

http://www.samistur.com.br/turismo/t00003.asp

http://oglobo.globo.com/especiais/cirio/domingo.htm#belem

http://www.virtual.epm.br/uati/corpo/cultura6_cirio_de_nazare.htm